Doenças infectocontagiosas em felinos

Nos acompanhe em tempo real:
Compartilhe nas redes sociais:
15/10/2020 14h48
0 Comentários

Com uma população de 141,6 milhões de pets, o Brasil já é o segundo país com maior número de animais de estimação. Desse total, 24,7 milhões representam gatos, de acordo com dados de 2019 da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (ABINPET). "A população de felinos cresce muito, ano a ano. É importante que voltemos nossas atenções a eles, que representam uma parcela bastante significativa dos animais de companhia hoje", diz o médico-veterinário Alexandre Merlo, Gerente Técnico de Animais de Companhia da Zoetis.

Seja o seu bichano mais livre ou de apartamento, como diz "A História de uma gata", de "Os Saltimbancos", o cuidado é imprescindível. "Doenças infectocontagiosas são muito comuns e causam problemas sérios nos felinos. Algumas podem ser evitadas com vacinas, mas há outras em que nem o tratamento é satisfatório", explica Merlo.

Destacamos aqui algumas dessas principais doenças:

Panleucopenia

Causada por vírus, é também conhecida como parvovirose dos gatos. Filhotes são altamente propensos a essa doença, cujos sintomas principais são vômitos acompanhados ou não de diarreia, febre e tristeza. Se não tratada a tempo, pode ser letal.
"Não há medicamento que elimine o vírus. Por isso, a prevenção é a melhor alternativa", recomenda Merlo.
Para isto, a Zoetis recomenda Felocell CVR, Felocell CVR-C e Fel-O-Vax. Indicadas para animais a partir de 8-9 semanas de vida.

Manifestações do Complexo Respiratório Felino (CRF)

Bastante comuns, têm alta prevalência em animais que vivem ou que já viveram em colônias. O CRF é causado por três agentes principais - o herpesvírus felino, o calicivírus felino e a bactéria Chlamydia felis.
A transmissão se dá por meio de contato direto com secreção ocular, nasal e oral. Também há a transmissão indireta, quando um gato doente tosse ou espirra, por exemplo, eliminando partículas contendo os agentes que contaminam fômites como comedouros, bebedouros e brinquedos
"Há animais que nunca conseguem eliminar os agentes após a infecção e, nesses casos, a vacina pode ajudar a evitar crises. Para os animais que nunca foram infectados, a vacina é uma ferramenta ainda mais importante", orienta o especialista.


Contra essas manifestações, a Zoetis recomenda Felocell CVR, Felocell CVR-C ou Fel-O-Vax, sendo que apenas as vacinas Felocell CVR-C e Fel-O-Vax protegem contra a clamidiose. São indicadas para animais a partir de 8-9 semanas de vida.

Leucemia viral

Doença incurável, é causada por um vírus que afeta o sistema imune dos gatos, facilitando o aparecimento de infecções por bactérias e mesmo de alguns tipos de tumor. A transmissão acontece principalmente quando um animal infectado lambe outros gatos, uma vez que o vírus é excretado em abundância na saliva. "É uma doença silenciosa, na maioria das vezes, e, se diagnosticada tardiamente, pode não ter tratamento curativo", esclarece o médico-veterinário.
Fel-O-Vax é a recomendação da Zoetis. Indicada para animais a partir de 8 semanas de vida.

Sobre a Zoetis

Zoetis é uma companhia global líder em saúde animal, dedicada aos clientes e seus respectivos negócios. Com um legado de mais de 60 anos de história, a Zoetis descobre, desenvolve, fabrica e comercializa vacinas e medicamentos

veterinários, complementados por linhas de produtos para diagnósticos, testes genéticos e diversos serviços. A Zoetis trabalha continuamente com veterinários, produtores e pessoas que criam e cuidam de animais de produção e de companhia em mais de 100 países, com mais de 10 mil funcionários. Em 2019, obteve faturamento de US﹩ 6,3 bilhões. Para outras informações, acesse http://www.zoetis.com.br.

 

Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:

0 Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
Caracteres restantes: 700
 
  • Nenhum comentário publicado.