Covid-19: Como a doença tem afetado a saúde dos olhos dos brasileiros

Nos acompanhe em tempo real:
Compartilhe nas redes sociais:
22/03/2021 13h39
0 Comentários

Embaçamento visual, conjuntivite, glaucoma e lesão na retina são algumas das sequelas em pacientes após contato com o novo coronavírus. Segundo estudiosos na área, diversos relatos têm identificado sequelas na saúde de alguns pacientes.

A área oftalmológica também tem trabalhado para entender de que modo o vírus se manifesta nos olhos. De acordo com a médica oftalmologista, Susan Yano, é necessário que após o período de isolamento o paciente que sentir um desconforto na visão deve procurar um especialista.

“Estudos internacionais e nacionais já comprovaram que algumas pessoas após contato com o vírus desenvolveram glaucoma, conjuntivite, entre outras doenças oculares. E como tudo ainda é muito recente, tem muita gente que não se atenta aos cuidados com a visão e isso a longo prazo pode ser prejudicial”, explica a especialista.

Transplante de córnea durante a pandemia

Além dos cuidados com a visão em pacientes recuperados da covid-19, outra preocupação dos especialistas é que a pandemia pode aumentar ainda mais a deficiência visual por conta da menor captação de córnea pelos bancos de olhos.

Um relatório da ABTO (Associação Brasileira de Transplante de Órgãos) mostra que até setembro de 2019, 10.995 brasileiros realizaram transplante de córnea. Porém, no mesmo período de 2020, último dado da associação, foram realizadas 4.807 cirurgias no País, uma redução de 210% em relação ao ano anterior.

Um estudo divulgado no final de janeiro na publicação científica, JAMA Ophthalmology da Associação Médica Americana (AMA) mostra que em um grupo de onze pessoas contaminadas pelo SARS-CoV-2, a córnea de seis (55%) apresentou o RNA gnômico do vírus.

 

Quatro dessas mesmas córneas (67%) apresentaram RNA subgnômico. Por isso, a recomendação é evitar a captação para transplante de pessoas com covid-19 ou recém contaminadas.

O ceratocone responde por 70% dos transplantes. A doença em geral aparece na adolescência e progressivamente torna a córnea, lente externa do olho, mais fina e fraca, fazendo com que ela tome o formato de um cone. Esta alteração compromete bastante a visão, porque a luz penetra distorcida nos olhos e forma imagens desfocadas.

 

  • Release com informações da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos

 

Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:

0 Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
Caracteres restantes: 700
 
  • Nenhum comentário publicado.