Juliette Freire, ganhadora do 'BBB21', presta homenagem à mãe

Nos acompanhe em tempo real:
Compartilhe nas redes sociais:
09/05/2021 16h41
0 Comentários

 

juliette Amar é encontrar no outro um lugar
É entregar o melhor de si
É cuidar
proteger, acolher, ensinar
É amar!

Esse sentimento perfeito
Que aparece até nos erros
pra se transformar em acerto

Cada um ama de seu jeito
Mostra amor do seu jeito
E mesmo com seus defeitos
Todo mundo tem sua forma de amar
E a gente só precisa enxergar

Eu e mainha é a gente
E só gente entende gente
Ela não precisou falar
Me ensinou com exemplo
E foi isso
Todo tempo

E ela na sua labuta
Que era de fato uma luta
Me deu amor na ausência
E eu entendia que ela não podia
Me dar tudo que eu queria
Mas eu sentia a sua presença

Ela nunca largou a minha mão
E Toda vez que eu errava
A voz dela falava dentro do meu coração

Só me dizia as coisas uma vez
Não tinha tempo pra duas, quanto mais três
E eu errava
E as consequências era eu que lidava

Mas se não tinha mais jeito
Se ja não tinha conserto
Aparecia mainha E me abraçava
Me fazia ver sentido de novo na caminhada
E dizendo “minha filha, isso passa, a vida é abençoada”

Nossa linguagem de amor foi forte, braba, dura, justa
E a vida é isso tudo
E o amor é isso tudo

O sentido tá nos pequenos atos
Assim como os cactos
Que precisam de pouco pra viver
O amor precisa de pouco pra florescer
E mainha mesmo tendo tão pouco sempre soube dividir pra multiplicar
Esse vício de cuidar do outro
Isso tambem é amar

Mainha é minha casa
Que eu conheço cada cantinho
Na bronca e no carinho
Ela é o ninho pra me guardar
E eu só um passarinho que precisa voar

Mainha me ensinou o amor do jeitinho dela
E foi com ela eu aprendi a amar

Texto: Juliette e @juuzeh

juliette Amar é encontrar no outro um lugar
É entregar o melhor de si
É cuidar
proteger, acolher, ensinar
É amar!

Esse sentimento perfeito
Que aparece até nos erros
pra se transformar em acerto

Cada um ama de seu jeito
Mostra amor do seu jeito
E mesmo com seus defeitos
Todo mundo tem sua forma de amar
E a gente só precisa enxergar

Eu e mainha é a gente
E só gente entende gente
Ela não precisou falar
Me ensinou com exemplo
E foi isso
Todo tempo

E ela na sua labuta
Que era de fato uma luta
Me deu amor na ausência
E eu entendia que ela não podia
Me dar tudo que eu queria
Mas eu sentia a sua presença

Ela nunca largou a minha mão
E Toda vez que eu errava
A voz dela falava dentro do meu coração

Só me dizia as coisas uma vez
Não tinha tempo pra duas, quanto mais três
E eu errava
E as consequências era eu que lidava

Mas se não tinha mais jeito
Se ja não tinha conserto
Aparecia mainha E me abraçava
Me fazia ver sentido de novo na caminhada
E dizendo “minha filha, isso passa, a vida é abençoada”

Nossa linguagem de amor foi forte, braba, dura, justa
E a vida é isso tudo
E o amor é isso tudo

O sentido tá nos pequenos atos
Assim como os cactos
Que precisam de pouco pra viver
O amor precisa de pouco pra florescer
E mainha mesmo tendo tão pouco sempre soube dividir pra multiplicar
Esse vício de cuidar do outro
Isso tambem é amar

Mainha é minha casa
Que eu conheço cada cantinho
Na bronca e no carinho
Ela é o ninho pra me guardar
E eu só um passarinho que precisa voar

Mainha me ensinou o amor do jeitinho dela
E foi com ela eu aprendi a amar

Texto: Juliette e @juuzeh

Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:

0 Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
Caracteres restantes: 700
 
  • Nenhum comentário publicado.