A harmonização facial é estética ou cirurgia plástica?

Nos acompanhe em tempo real:
Compartilhe nas redes sociais:
14/06/2021 17h42
0 Comentários

Com a idade avançando, muitas pessoas começam a se incomodar com o envelhecimento dos traços do rosto, por isso, hoje, a harmonização facial está em alta. Porém a grande dúvida é sobre qual procedimento escolher: o estético — que se utiliza de preenchimento facial, aplicação de Botox, entre outros —, ou fazer algo definitivo como a cirurgia plástica.

A tão propagada harmonização facial reúne vários tratamentos, que tem como intuito proporcionar equilíbrio ao rosto, reduzindo as rugas e marcas de expressão, aumentando os lábios, definindo a mandíbula, mudando levemente o nariz e aumentando ou diminuindo o queixo e/ou a testa.  Esses tratamentos estéticos, por mais que apresentem um resultado rápido, podem ter curta durabilidade, pois dependerá de cada pessoa, como, por exemplo, a idade (metabolismo acelerado ou não), a prática de exercícios físicos, a exposição ao sol, a medicação consumida regularmente, entre outros fatores. A bula da Toxina Botulínica indica, em média, uma duração de 03 meses e, para os preenchimentos faciais, também há diversos fatores que podem alternar a durabilidade do preenchimento, sendo, em média, entre 10 a 12 meses. 

 

Já a cirurgia plástica tem um resultado mais duradouro e, segundo Arnaldo Korn, diretor do Centro Nacional — Cirurgia Plástica, os procedimentos para o rejuvenescimento facial mais buscados são o lifting facial e a Blefaroplastia. “O primeiro procedimento melhora os sinais de envelhecimento no rosto e pescoço, como:  flacidez no terço médio da face; vincos profundos abaixo das pálpebras inferiores; vincos profundos ao longo do nariz que se estende ao canto da boca; gordura que tenha sido deslocada; perda de tônus muscular na face inferior (a temida papada); pele frouxa e excesso de depósitos de gordura sob o queixo e a mandíbula. Já para problemas de flacidez na região dos olhos e bolsas de gordura, a solução é a Blefaroplastia”, detalha Korn.

 

Segundo ele, antes de qualquer procedimento, sempre será necessária uma avaliação com um cirurgião plástico para que todas as condições de saúde do paciente sejam checadas antes de decidir quais cirurgias podem ser feitas. “A cirurgia plástica, quando realizada em ambiente hospitalar e com um médico credenciado, é segura.  Para o rejuvenescimento facial vale a pena avaliar a possibilidade de fazer mais de uma plástica no mesmo dia, o que evita que a pessoa passe por dois pré e pós-operatórios”, detalha.

 

Arnaldo Korn salienta que outro benefício é a economia, já que os custos para dois procedimentos de uma só vez são menores, pois será apenas uma anestesia e uma internação. Mas, vale lembrar que, mesmo economizando em algumas despesas, unir procedimentos tem um custo alto e, se o impedimento é o pagamento, hoje há facilidades, como o parcelamento do pagamento por meio de um serviço de assessoria administrativa financeira, como o que é feito pelo Centro Nacional – Cirurgia Plástica. 

 

Seja por meio de tratamento estético ou por cirurgia plástica, se a harmonização facial melhorará sua autoestima, vale a pena investir nisso, sempre tomando os devidos cuidados com sua saúde e bem-estar. Tudo com equilíbrio e sem exageros!

 

Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:

0 Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
Caracteres restantes: 700
 
  • Nenhum comentário publicado.